• Cerimónia de Entrega de Prémios dia 16 de Outubro 2017.10.02

    No próximo dia 16 de outubro, dia mundial da Alimentação, entre as 14 horas e as 18.30, o Mercado da Ribeira recebe a Cerimónia de Entrega de Prémios da 8ª edição e a Conferência “O Futuro da Alimentação: Sustentabilidade dos sistemas num mundo em transformação” do Food & Nutrition Awards.

    Nesta cerimónia vão ser revelados os vencedores e as menções honrosas das categorias deste ano: Investigação e Desenvolvimento, Educação Alimentar, Produto Inovação e Sustentabilidade Alimentar.

    A Cerimónia, onde serão destacados os melhores projetos, produtos e iniciativas que contribuem para a promoção de estilos de vida e hábitos alimentares saudáveis, será ainda marcada pela Conferência “O Futuro da Alimentação: Sustentabilidade dos sistemas num mundo em transformação”, que reúne especialistas nacionais e internacionais. Lurdes Carvalho da Comissão Nacional da UNESCO, Marius Robles,  CEO e Fundador da Reimagine Food, Tim Hogg, Professor e Investigador, e Lorenzo Pastrana, Head of Department of Life Sciences serão alguns dos oradores a marcar presença na conferência.

    Os desafios da sustentabilidade na alimentação, Inovação e tecnologia no setor agroalimentar, e o futuro da alimentação num mundo marcado pelas alterações climáticas são os principais temas em destaque nos debates e intervenções previstas.

    A inscrição para a conferência pode ser realizada através do Link  sendo que a mesma é gratuita.

    Consulte o programa, aqui.

  • FNA e ANI atribuem Prémio Born From Knowledge 2017.09.22

    A Agência Nacional de Inovação (ANI), junta-se à 8ª edição do Food & Nutrition Awards, plataforma que distingue a inovação, as boas práticas, os projetos, os produtos e os serviços inovadores no âmbito da indústria agroalimentar, através do Prémio FNA-ANI, Born From Knowledge (BfK AWARDS) 2017.

    O vencedor deste prémio será encontrado a partir dos finalistas da categoria de Investigação e Desenvolvimento, sendo que a sua atribuição está inerente a alguns critérios específicos: os projetos selecionados devem ser “ nascidos do conhecimento” e resultarem de atividades de Investigação e Desenvolvimento, desenvolvidas em colaboração ou não com entidades do Sistema Científico e Tecnológico (SCT), incluindo preferencialmente doutorados nos trabalhos de I&D.

    O candidato FNA distinguido com este prémio receberá um troféu especial e a oportunidade de beneficiar de um processo de consultoria e apoio, levado a cabo pela ANI para apoio ao desenvolvimento e implementação do projeto distinguido.

    O prémio FNA-ANI Born From Knowledge será atribuído na Conferência “O Futuro da Alimentação: Sustentabilidade dos sistemas num mundo em transformação” e Cerimónia de Entrega de Prémios do FNA, que se realiza o dia Mundial da Alimentação, 16 de outubro, no Mercado da Ribeira.
    A participação na Conferência e Cerimónia de Entrega de Prémios é gratuita, contudo a inscrição é obrigatória.
    Saiba mais sobre o Born from Knowledge, aqui.

  • Crianças da União Europeia em idade escolar vão receber leite, fruta e verduras 2017.08.02

    A União Europeia aumentou em 20 milhões de euros o seu orçamento para o novo regime que promove a alimentação saudável nas escolas. As crianças em idade escolar recebem agora leite, fruta e verduras.

    Em vigor no dia 1 de agosto o novo regime para a distribuição de leite e de vegetais e frutas nas escolas, que foram agregados, tem agora uma dotação de 250 milhões de euros anuais. Para Portugal, a dotação definida ascende a 5,5 milhões de euros.


    Este novo regime visa promover hábitos alimentares saudáveis entre as crianças, desenvolver programas educativos específicos para ensinar os alunos sobre a importância de uma boa nutrição e explicar como os alimentos são produzidos.


    Dar-se-ão assim aos alunos, principalmente, fruta fresca, verduras e leite. Produtos transformados, como sopa, compotas de fruta, sumos, iogurtes e queijo podem também ser distribuídos se essa opção for aprovada pelas autoridades sanitárias nacionais. Não está autorizada a adição de açúcar, sal e gordura, salvo se as autoridades nacionais de saúde permitirem quantidades limitadas.


    No entanto, produtos com sabores, como o leite com chocolate e os iogurtes de fruta serão admitidos, embora a UE só pague o leite que contêm, que deve perfazer 90% ou, em casos raros, 75% do produto final.

  • Professor de Harvard considera que doenças são o resultado das escolhas feitas 2017.07.26

    Edward Phillips, professor de medicina de Harvard, defende que as doenças resultam de más escolhas alimentares feitas ao longo da vida.

    Com um percurso profissional notório na área da medicina, Phillips, fundador e diretor do Institute of Lifestyle Medicine, considera que mais de dois terços das doenças existentes são resultado das más escolhas de saúde que cada individuo faz. Isto traduz-se nos alimentos ingeridos, exercício praticado, horas de sono e maus hábitos (fumar e consumir álcool ou drogas).

    Segundo Edward Phillips, a modificação destes comportamentos evitaria a maioria dos casos de doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, diabetes e cancro.

    O professor acredita que as pessoas têm a consciência de que praticar exercício, ter uma alimentação saudável e descansar adequadamente são hábitos fundamentais para a saúde. Contudo, devido ao stress e saturação do quotidiano optam por hábitos que prejudicam o seu bem-estar.

    Phillips considera ainda que as escolas e universidades têm um papel fundamental na promoção de estilos de vida saudáveis, através da implementação de aulas de atividade física, controlo de stress e preparação de refeições equilibradas. 

  • 40% dos Portugueses confessa fazer dieta. 2017.07.14

    Segundo estudo realizado pela Nielsen, os portugueses têm mais consciência sobre o excesso de peso e tentam combatê-lo. Contudo, alguns deles não adotam as melhores práticas para o efeito.

    Este estudo é assente na análise de consumos da população portuguesa, visando aferir sobre a adoção de estilos de vida saudáveis.

    Através deste estudo conclui-se que fazer dieta já é uma forma de vida para 40% dos portugueses (contra apenas 28% dos europeus). No entanto, mais de metade assume que comer esporadicamente alimentos menos saudáveis não lhes traz problemas para a saúde e que quantidades moderadas de açúcar podem fazer parte de uma alimentação saudável. Somando a isto, 44% admite que quando fazem uma pausa para um snack, optam habitualmente por alimentos indulgentes, em vez de fruta ou vegetais. 

    Para saberem se um produto é saudável, os consumidores portugueses recorrem aos rótulos com informação nutricional (54%), às mensagens existentes na embalagem (45%), aos profissionais de saúde (43%) e aos websites da área da saúde (40%). 

    Por fim, este estudo revela que os portugueses ambicionam consumir mais frutas e vegetais (57%) e reduzir o consumo de doces (52%), de alimentos com açúcares adicionados (49%) e de alimentos ricos em gorduras saturadas (43%).

  • 1 2 3 4 5 45