Categoria: Notícias

Conferência “Alimentação Sustentável” organizada pelo Food & Nutrition Awards em parceria com o LIDL

  • Jun 21
  • 0
  • Slider Revolution

Corresponder aos atuais desafios agroalimentares, num contexto global de mudança ambiental e social, exige abordagens inovadoras relativamente à produção alimentar, processos, distribuição e acesso, o que implica maior inovação no setor em alinhamento com as políticas públicas. A aposta na Inovação e no desenvolvimento tecnológico para conquistar massa crítica e ganhar competitividade, nomeadamente em setores que envolvem diretamente a produção de hortícolas, frutas, vinhos, azeite e em setores que envolvem a distribuição, não diz apenas respeito ao reforço de posicionamento da indústria agroalimentar na economia nacional, mas à necessidade de corresponder às novas expetativas dos consumidores que passam pelo acesso a alimentos desenhados à sua medida, a novos parâmetros de qualidade, de diferenciação e de segurança, não esquecendo o contexto global da sustentabilidade, das alterações climáticas e da alimentação global.

Este foi o mote da Conferência “Alimentação Sustentável” organizada pelo Food & Nutrition Awards em parceria com o LIDL, no decorrer da Feira Nacional da Agricultura, que decorreu em Santarém.

António Duarte, Coordenador Executivo da Associação Geoparque apresentou o “Geofood”, um projeto que tem como missão integrar a alimentação e o território, o turismo e a saúde, a sustentabilidade e o sabor. Desenvolvido em parceria entre o Município de Arouca e o Arouca Geoparque Mundial da Unesco, e acreditando que a alimentação está intimamente ligada ao território, que resulta e adapta-se deste e a este, numa relação simbiótica que tem o poder de promover estilos de vida saudáveis e sustentáveis, com sabor e identidade, cultura e criatividade, o “Geofood” tem vindo a crescer e a aumentar a sua rede de parceiros e influência.

Os produtos nacionais estiveram em destaque com a participação de Gonçalo Andrade, Presidente Executivo da Portugal Fresh, que destacou o trabalho que tem vindo a ser realizado na promoção da qualidade e unicidade “do que é português”, a valorização da “origem Portugal” já reconhecida internacionalmente e com uma degustação de produtos preparados pelo Chefe Hernâni Ermida.

“Práticas para a construção de uma alimentação sustentável” motivou uma conversa entre David Gouveia, (GPP – Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral), Francisco Goiana da Silva, (Ministério da Saúde), Jorge Soares, (Associação de Produtores da Maçã de Alcobaça) e Vanessa Romeu (Lidl Portugal) onde ganhou destaque a importância de que a resposta a estes desafios exige inovação e cooperação entre os líderes do setor – produção, retalho alimentar e indústria – e as entidades governativas.

No cerne da questão está o consumidor, e a sua capacitação é fundamental para que possa fazer escolhas conscientes, mais sustentáveis e saudáveis. E contribuir para que isto seja possível é uma tarefa de todos.

   

 

Encontro do Food & Nutrition Awards, realizado no dia 6 de Junho

  • Jun 7
  • 0
  • Slider Revolution

A importância da Inovação no setor agroalimentar esteve em debate no Encontro do Food & Nutrition Awards, realizado no dia 6 de Junho, no Ministério da Economia, com a participação de Paulo Alexandre Ferreira, Secretário de Estado Adjunto e do Comércio.

Neste encontro, que reuniu a presença de stakeholders de diversas áreas do setor agroalimentar e da academia, esteve em destaque a importância da inovação, da tecnologia, da ciência e da transformação em geral, para que de forma integrada e colaborativa, se possa responder aos exigentes desafios do setor agroalimentar – atuais e futuros.

 

SIAL Paris decorre entre 21 e 25 de outubro de 2018

  • Jun 6
  • 0
  • Slider Revolution

No espaço de poucos anos, os profissionais da restauração reinventaram totalmente as suas profissões e o próprio conceito de “restauração”. A gastronomia é atualmente uma fonte inesgotável de inspiração para todos os que atuam no setor da alimentação, como explica Nicolas Trentesaux, diretor da rede SIAL.

Como se encontra a restauração nos dias de hoje? 
Quando me fazem essa pergunta, penso, imediatamente, nas bolhas de champanhe que não param de subir! O mercado da restauração encontra-se em plena efervescência e com uma performance notável, com a mesma tendência a estender-se a todos os cantos do mundo. Nos Estados Unidos da América, depois de um crescimento de 2,1%, em 2016, a restauração realizou um excelente 2017, com mais 1,7%. Na China, o volume de negócios ultrapassou a fasquia dos 600 mil milhões de dólares, após uma subida anual de 5,4%. Nos Emirados Árabes Unidos o sector voltou a explodir com um crescimento de 4,5%. E num país que conhecemos bem, a França, a atividade mostrou uma bela progressão de 1,8% no ano passado. Uma propensão que parece prosseguir, em 2018, em toda a Europa, assim como em todas as outras regiões do mundo. 

Para além desta excelente saúde económica, qual é o atual estado da restauração? 
A restauração está em plena evolução e ninguém pode, ainda, medir o alcance do fenómeno. Mas não devemos limitar-nos aos dados macroeconómicos. Se mergulharmos na história do SIAL, há 30, 20 ou mesmo 10 anos, não existia uma tal profusão de conceitos, uma reinvenção tão vigorosa e criativa de receitas, uma tão rápida difusão de tradições culinárias, muito enraizadas localmente, que ignora totalmente as fronteiras. 

Trata-se da famosa “glocalização” ou a dimensão local na produção de uma cultura global? 
Sem dúvida! Em Nova Iorque, Montreal, Londres, Paris, Berlim, Xangai, Abu Dhabi ou Jacarta, os espaços híbridos – restaurante-café, ou cafetaria/supermercado – nascem. Os “hall foods”, repletos de quiosques com múltiplas influências, oferecem a possibilidade de se degustar uma cozinha gourmet, fresca e inventiva. A restauração rápida rende-se ao “fine food”. E a digitalização faz deslocar o restaurante ao nosso domicílio. Trata-se de uma aceleração fenomenal da história da restauração e da alimentação. E é bem esta revolução que nos interessa e que vamos descodificar e partilhar no SIAL Paris.

Qual o lugar da restauração na grande família do alimentar? Qual é concretamente o seu papel? 
Para o descobrir, convido-vos a virem às fontes, à origem… porque vamos ao restaurante? Existem múltiplas motivações. Pode ser por ganho de tempo, vontade de ser servido para ter prazer para se encontrar com os próximos num lugar convivial. Há uma motivação que volta sistematicamente: a descoberta de novos sabores e tendências, que terá vontade de repetir em sua casa. A restauração é o laboratório da invenção alimentar, onde se inventa a cozinha do futuro, onde os industriais, artesãos e consumidores vêm descobrir novas ideias.                                  

O SIAL é igualmente um laboratório de ideias para a restauração? 
Somos, sem dúvida, o laboratório das novas temáticas e tendências ecléticas e sem preconceitos: do sem glúten ao vegan, passando pelo mais “high tech”, nenhuma tendência atual, ou futura, escapa ao radar do SIAL. E os chef’s não se enganam: eles gostam de andar pelos corredores para alimentarem a sua inspiração e descobrir novos sabores dos quatro cantos do mundo. Por ocasião da edição de 2018, iremos revelar, pela primeira vez, os resultados de um estudo mundial sobre a restauração conduzido em parceria com o Gira Conseil: o estudo internacional do SIAL/Kantar TNS/XTC World Innovation. Resultados que atestam esta extraordinária revolução em curso e que nos esboçam um horizonte repleto de inovações para a restauração entre robótica, dados, personalização e produtos de prazer… O SIAL Paris inicia, uma vez mais, novas tendências alimentares. 

Mas o que faz com o adquirido? Que lugar reserva à experiência e à partilha? 
A experiência só interessa na medida em que a partilhamos. Graças aos eventos emblemáticos dedicados à restauração, oferecemos a todos os visitantes e expositores a possibilidade de partilhar com os inúmeros chefs, atuais e do futuro, estrelas Michelin ou personalidades menos conhecidas, presentes no salão. Para descobrir novas fontes de inspiração e fazer parte desta grande aventura da cozinha 3.0, inventiva, responsável e conectada. 

Alguns exemplos? 
A cozinha, com demonstrações diárias de chefs internacionais, em parceria com o Rungis e a escola Ferrandi, abordagem que inclui o nosso restaurante VIP, dirigido por chefs premiados com estrelas. E, pela primeira vez, este ano, os cursos de cozinha serão abertos ao público profissional do salão. Outra oportunidade, o percurso restauração e produtos inovadores, imaginado por Yannick Alléno, o multi-premiado chef, presente em cinco destinos do mundo e que é também o padrinho do SIAL Paris 2018. 

Então, o SIAL Paris, hoje em dia, não é somente o maior supermercado do mundo? 
Pois não. É também o maior restaurante do mundo e até um restaurante gastronómico sem fronteiras, com múltiplas tradições e receitas, onde os profissionais podem encontrar a sua inspiração mundial num só local: Paris. Mas decretá-lo não chega, é necessário incorporá-lo. Em 2018, o sucesso a isso obriga, reproduzimos o SIAL OFF, uma lista de 50 restaurantes e artesãos da alimentação, que oferece uma experiência única da gastronomia em Paris. Tradições e experiências, novidades e futuro, é graças à agregação do “savoir-faire” e de um turbilhão de inspiração criativa que o mundo da restauração e o SIAL Paris se inspiram mutuamente, para estar no coração da profissão e elaborar um evento cheio de sabores.

 

Fonte: Grande Consumo 

Estudantes reinventam o consumo de leguminosas

  • Jun 3
  • 0
  • Slider Revolution

Aumentar o leque de alternativas ao consumo de proteína animal no mercado foi o objectivo que levou quatro estudantes da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) a desenvolver o inovador “Legutê” – leguminosas em patê.

A gama “Legutê” é composta por três variedades de patês – feijão, ervilha e tremoço – 100% naturais, ricos em proteína, fibra, vitaminas e antioxidantes e com baixo teor de gordura e zero colesterol.

A ideia surgiu na unidade curricular “Empreendedorismo: da ideia ao negócio” do mestrado em Biodiversidade e Biotecnologia Vegetal do Departamento de Ciências da Vida da FCTUC. Bruno Simões, Jéssica Tavares, Mariana Correia e Tércia Lopes investigaram e, «ao verificarmos que a oferta de proteína não animal no mercado é deficitária», avançaram para o desenvolvimento de um produto inovador que tivesse por base as leguminosas familiares da dieta tradicional mediterrânica.

Após a realização de várias experiências, as leguminosas eleitas foram o feijão, a ervilha e o tremoço. É uma forma de “reinventar o consumo de leguminosas. O Legutê é um produto prático e ideal para qualquer ocasião, distingue-se pela resposta a uma oferta escassa de proteína não animal, sendo indicado para vegetarianos. Para além disto, é rico em fibras, vitaminas e sais minerais”, salientam os estudantes.

Com a produção desta nova gama de patês de leguminosas, os jovens pretendem ainda contribuir para a “diminuição de desperdícios alimentares. Queremos transformar os excedentes da indústria alimentar destas leguminosas em matéria-prima.”

A próxima fase passa por “alargar o conceito a outras leguminosas e, também, pela procura de investidores junto da indústria alimentar ou, quem sabe, criar uma start-up, tendo em vista a comercialização dos novos patês de grande valor nutritivo.”

O projecto foi escolhido para disputar a final da fase nacional do concurso internacional Ecotrophelia, promovido pela PortugalFood, membro do Executive Board do FNA. 

Fonte: Green Savers 

7º Seminário da CAP discute importância dos jovens agricultores

  • Jun 2
  • 0
  • Slider Revolution

O 7.º seminário CAP, membro do Executive Board,  sobre a importância dos jovens agricultores no futuro da agricultura europeia irá ter lugar a 6 de junho, no auditório CNEMA, no âmbito da Feira Nacional de Agricultura 2018.

Hugo Almeida, da Direção Geral da Agricultura da Comissão Europeia, irá abordar o tema “Os jovens agricultores na Europa, situação presente e perspetivas de Futuro”, o eurodeputado Nuno Melo, irá abordar a temática intitulada “Oportunidades para os jovens Agricultores na PAC pós-2020, o trabalho realizado pelo Parlamento Europeu”, Jannes Maes, Presidente do Conselho Europeu dos Jovens Agricultores também irá abordar o assunto, num evento que conta ainda com o momento da entrega do Prémio Jovem Agricultor que vai representar Portugal em Bruxelas.

Food & Nutrition Awards premeia na categoria de Educação Alimentar

  • Jun 1
  • 0
  • Slider Revolution

A 9ª Edição do Food & Nutrition Awards (FNA), uma distinção nacional que premeia negócios e projetos inovadores no setor agroalimentar em prol da sustentabilidade, está a receber candidaturas em várias categorias até ao final do mês de maio.

Educação Alimentar, uma das categorias da iniciativa, visa premiar projetos, ações e/ou campanhas de educação e/ou sensibilização no âmbito da Educação Alimentar que, devido às suas características, promovam a criação e adoção de hábitos alimentares saudáveis junto dos consumidores.
Para além desta, as categorias a concurso na 9ª edição do FNA são Indústria 4.0, Investigação & Desenvolvimento, Produto Inovação e Sustentabilidade Alimentar.
A edição de 2018 do FNA é assinalada por um conjunto de iniciativas e temáticas relacionadas com a Alimentação do Futuro, que pretendem promover a consciencialização para a importância de uma sociedade sustentável, marcada pela inovação e consciência social.

O impacto das novas tecnologias na transformação do setor alimentar, a criação de novos trabalhos, o aparecimento de indústrias emergentes do futuro e a revolução da cadeia alimentar são temas que vão estar
em destaque no Food & Nutrition Awards  e que pretendem desafiar o setor este ano.
As candidaturas devem ser submetidas até 20 de junho de 2018, em formato digital, através do preenchimento do formulário de candidatura, disponível em: http://candidaturas.gpa.pt/fna.

 

FNA prolonga prazo de candidaturas

  • Mai 31
  • 0
  • Slider Revolution

O Food & Nutrition Awards 2018 prolongou o prazo de candidaturas até 20 de junho
Produto Inovação, Investigação e Desenvolvimento, Educação Alimentar, Sustentabilidade Alimentar e Indústria 4.0 são as categorias a concurso este ano. 
O FNA atribuirá ainda o Prémio FNA – ANI Born From Knowledge (BfK AWARDS) 2018. 

As candidaturas devem ser submetidas até 20 de junho de 2018, em formato digital, através do preenchimento do formulário de candidatura, disponível em: http://candidaturas.gpa.pt/fna. Estão abertas a todas as pessoas singulares e coletivas, nomeadamente, Administração Pública, Associações Setoriais, Autarquias, Cidadãos em nome individual, Empresas, Organizações Não-Governamentais, Profissionais em nome individual e universidades.

 

Multinacionais não fazem o suficiente para tornar produtos saudáveis

  • Mai 29
  • 0
  • Slider Revolution

Segundo a Fundação Access to Nutrition, as multinacionais alimentares não estão fazer o suficiente para tornar os seus produtos mais saudáveis.  As melhores práticas são apontadas à Nestlé, Unilever e Danone. 

De acordo com o Global Access to Nutrition Index, as 22 maiores multinacionais alimentares contribuem, de algum modo, para problemas como a obesidade e má nutrição. Apesar de muitas empresas reclamarem que os seus produtos se tornaram mais saudáveis, a análise a 23 mil referências em nove países mostrou que apenas um terço pode, efetivamente, ser designado de saudável. 

O ranking é liderado pela Nestlé, com um desempenho acima da média em todas as categorias e melhorias em quase todos os domínios. Seguem-se Unilever, Danone e FrieslandCampina, esta última com uma subida de quatro lugares devido a uma abordagem de marketing mais responsável. 

Nove empresas receberam uma classificação de cinco valores ou mais, em 10 possíveis, o que compara com as apenas duas em 2016. O índice médio também melhorou, de 2,5 valores para 3,3.

Fonte: Grande Consumo 

FNA e LIDL organizam conferência “Alimentação Sustentável”

  • Mai 28
  • 0
  • Slider Revolution

A APED – Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, a AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, a CAP – Agricultores de Portugal, e a FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas Agroalimentares e PortugalFoods, membros do Executive Board do Food & Nutrition Awards (FNA), em parceria com o Lidl, organizam conferência sobre “Alimentação Sustentável ”, que decorre no próximo dia 6 de junho, pelas 14:30 horas, no auditório Scalabis do CNEMA, em Santarém.

Contando com um painel de especialistas de diversas áreas – Saúde, Produção, canal HORECA, Políticas Públicas – irão estar em destaque temas relacionados com os atuais desafios alimentares, num contexto global de mudança ambiental e social, marcado pela crescente preocupação com a alimentação saudável. Em debate vão estar ainda as práticas para o futuro mais sustentável dos sistemas alimentares e os desafios da inovação para o desenvolvimento do setor agroalimentar nacional.

No âmbito da Conferência, decorrerá uma atividade de degustação de produtos nacionais confecionados pelo Chef do Lidl.

Inscreva-se, aqui. 

 

Consumidores querem mais oferta de produtos de alimentação saudável

  • Mai 25
  • 0
  • Slider Revolution

Os consumidores portugueses estão mais conscientes da importância de ter hábitos saudáveis de alimentação, mas ainda existe uma discrepância entre a vontade de adotar uma dieta saudável e os produtos oferecidos no mercado.

A maioria dos portugueses (69%) considera ter uma alimentação de qualidade. Essa proporção aumenta para 90% entre os praticantes de exercício físico, segundo dados divulgados pela Cetelem. Entre os 25 e os 35 anos, cerca de 76% dos portugueses manifestam ter preocupações com a sua alimentação.

No entanto, apenas cerca de um terço dos consumidores considera que na compra de produtos de mercearia mais de metade do total da oferta satisfaz a necessidade que têm de adotar uma alimentação saudável.

Dados revelados pelo Cetelem indicam ainda que 78% dos consumidores compram produtos que consideram benéficos para a sua alimentação em supermercados e hipermercados. Apenas 16% dos portugueses optam por fazê-lo em lojas especializadas em alimentação saudável. Já dez por cento dizem efetuar as compras em feiras ou mercados.

 

Fonte: HiperSuper