• O Futuro da Alimentação através do Conhecimento defendido por Tim Hogg 2017.10.20

    Na conferência “O Futuro da Alimentação: Sustentabilidade dos sistemas num mundo em transformação”, Tim Hogg, professor e investigador, defendeu que o conhecimento é a base da modernização e inovação do setor agroalimentar.
    O orador considera que é através dos avanços científicos e de novas pesquisas realizadas que se avalia o impacto da alimentação numa sociedade sustentável.
    Tim Hogg apresentou ainda a iniciativa Food for Life, que envolve a comunidade científica incentivando a criação de agendas estratégicas com base no conhecimento extraído das pesquisas em curso. O principal objetivo do projeto é garantir uma abordagem multidisciplinar eficaz e o intercâmbio de melhores práticas no setor agroalimentar.

  • Eatnomics: A nova economia emergente foi apresentada por Marius Robles 2017.10.20

    Marius Robles, fundador da Reimagine Food, esteve presente na Conferência “O Futuro da Alimentação: Sustentabilidade dos sistemas num mundo em transformação”, onde explicou a emergência da nova economia alimentar.
    Eatnomics é a nova era da alimentação que se materializa em novos desafios para o setor agroalimentar. alimentação que se materializa em novos desafios para o setor agroalimentar. Robles fala mesmo numa revolução alimentar proveniente de avanços inovadores e tecnológicos que forçam as empresas a redefinirem os processos, rede de distribuição e formas de consumo.

    Associada a um conjunto de conceitos, o orador considera que no futuro vão emergir subindústrias tais como Smart Kitchen, Vertical Farming, Cognitive Restaurants, 3D Food Printing, Saborologia ou Neuronal Food, que irão garantir a sustentabilidade alimentar bem como a modernização deste setor.

    Marius Robles não tem dúvidas que foi pela mudança de paradigmas que em 15 anos, 500 empresas da indústria alimentar desapareceram. O futuro é agora assegurado pelas mais de 90 startups que têm reinventado este setor.

     

  • Tecnologia aplicada à Alimentação explicada por Lorenzo Pastrana 2017.10.20

    Novos processos e (nano) tecnologias biológicas disruptivas a emergir na alimentação foi a temática central que marcou a intervenção de Lorenzo Pastrana na Conferência “O Futuro da Alimentação: Sustentabilidade dos sistemas num mundo em transformação”.

    Segundo o responsável pelo Departamento de Ciências Vivas do International Iberian Nanotechnology Laboratory, a tecnologia pode contribuir para uma melhor alimentação no futuro em 3 vertentes principais – personalização, sustentabilidade e emoção.

    Relativamente à personalização, Pastrana defende que a tecnologia tem a capacidade de adaptar os alimentos às necessidades nutricionais de cada pessoa. Assim, será possível, por exemplo, reduzir em 50% a quantidade de açúcar ou sal nos alimentos mantendo o seu sabor intacto ou até desenvolver alimentos mais ricos em ferro e cálcio para a população idosa sem alteração no seu sabor.

    O desperdício de plástico é um dos maiores problemas da indústria alimentar identificado pelo orador, que pode ser agora resolvido. Existem tecnologias capazes de criar películas e embalagens de plástico orgânico feito a partir de produtos naturais. Pastrana reconhece que isto eliminará qualquer contaminação presente em alimentos, garantindo a segurança e confiança alimentar.

    A última vertente mencionada foi a emoção. De acordo com Lorenzo Pastrana, o consumidor atual despertou um grande interesse em conhecer a origem dos produtos e marcas que consome. Através da tecnologia, será possível conhecer o ADN de cada alimento e analisar os seus verdadeiros constituintes.

     

  • Intervenção de Lurdes Carvalho centrada nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável 2017.10.20

    Foi na Conferência “O Futuro da Alimentação: Sustentabilidade dos sistemas num mundo em transformação”, realizada no Dia Mundial da Alimentação, que Lurdes Carvalho, perita do Comité do Património Mundial na Comissão Nacional da UNESCO, expôs um conjunto de medidas em prol da gestão sustentável da alimentação.

    Focada nos 17 objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, defende que o futuro da alimentação passa essencialmente pela modernização da indústria e pela ação do consumidor, sendo que para tal é necessário que ambas as partes entendam com clareza o seu papel nesta evolução.

    Dentro destes objetivos, Lurdes Carvalho salientou a importância da mitigação e adaptação às alterações climáticas bem como a necessidade de encarar cada vez mais o mar como uma importante fonte de alimentação. http://www.unric.org/pt/objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel

    A Dieta Mediterrânea enquanto Património Cultural Imaterial da Humanidade foi também um dos temas em destaque. A oradora reforça da necessidade de se continuar a transmitir os valores alimentares tradicionais entre gerações, contudo chama a atenção para constante evolução e desenvolvimento dos mesmos.

    Lurdes Carvalho terminou a sua intervenção com a exposição de uma preocupação – a alimentação das crianças – um desafio ao qual espera que a curto prazo seja dada uma resposta adequada.

     

  • Vencedores FNA 2017 já são conhecidos 2017.10.17

    International Iberian Nanotechnology Laboratory  e a Universidade do Minho , Universidade do Porto, CEREALIS e Modelo Continente Hipermercados são os vencedores dos primeiros prémios da 8ª edição do Food & Nutrition Awards.

    Pela primeira vez, foi também atribuída, no FNA, a distinção Born From Knowledge (BfK), um prémio da Agência Nacional de Inovação (ANI) e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, que, este ano, pertenceu ao Instituto Superior de Agronomia com o projeto River Rice Sugar – Adoçante natural obtido a partir de arroz. O vencedor terá a oportunidade de beneficiar de um processo de consultoria e apoio pela ANI para desenvolvimento e implementação do projeto.

    As categorias desta edição são Investigação & Desenvolvimento, Educação Alimentar, Produto Inovação e Sustentabilidade Alimentar onde, para além dos vencedores, se destacaram outras entidades singulares e coletivas com projetos de carácter inovador no sector agroalimentar, tais como o Instituto Superior de Agronomia, G2Gi, ITAU – Instituto Técnico de Alimentação Humana, Lidl & Cia, ArrábidaMel, Mónica Gomes da Venda, Sara Maria Fradique da Silva Oliveira, Daniela Cristina Gonçalves Costa, Município de Arouca e Oikos Cooperação e Desenvolvimento.

    Os vencedores destacaram-se de um total de 33 finalistas, eleitos entre as mais de 80 candidaturas submetidas.

    Veja todos os vencedores aqui. 

     

  • 1 2 3 45